Editorial: Que força é essa?

Editorial do nº 1 da revista Anticapitalista, por Adriano Campos* e Andrea Peniche**


Neste número inaugural da revista Anticapitalista queremos ensaiar os caminhos possíveis para uma ação militante e transformadora. Mais do que uma publicação bimestral, a revista da Rede Anticapitalista apresenta-se como uma bússola para as lutas que estão por fazer. Não será um espaço de embate interno, nem perderemos tempo com jogos de facções. Temos um compromisso e voltamos a repeti-lo: queremos contribuir para mudar a prática partidária quanto aos movimentos e lutas sociais, para que a renovação da esquerda revolucionária venha do confronto social. É esse o trabalho que escasseia e que necessita de um pensamento crítico que o dote de sentido e ação.

Para tal, as nossas coordenadas serão fixas: em todos os números apresentaremos as decisões que a Rede Anticapitalista toma nas suas reuniões, garantindo a sua partilha e participação coletiva. Na rubrica Em Rede trataremos das lutas em que estamos envolvidos e queremos ser parte ativa. Neste número, o João Camargo fala-nos das batalhas contra as alterações climáticas e da resposta ecossocialista a construir. No campo do trabalho, a integração dos precários do Estado está no centro da ação, como retrata a Maria Manuel Rola, e cujo exemplo dos trabalhadores do Centro Hospitalar do Oeste nos é apresentado pelo Ricardo Vicente. Por fim, falamos das primeiras reações ao crescimento da misoginia nos EUA e na Europa, com o evento global – Marcha das Mulheres – a 21 de janeiro e a campanha “Não sejas Trump!”. O Luís Leiria traz-nos as últimas novidades de um Brasil em ebulição, ilustrando a rubrica internacional Sem Fronteiras. Em Fundamentos, espaço de teorização e análise, o Francisco Louçã trata o legado dos trinta anos de ilusão e fracasso que marcam a entrada de Portugal na União Europeia, alertando para os riscos de uma nova crise económica no horizonte. O debate para a reformulação da hipótese socialista e os pressupostos para uma sociedade segura fica a cargo do Manuel Garí. Já o apontamento de recensão crítica Outras Palavras é preenchido pelo Jorge Costa, que se debruça sobre o marxismo weberiano presente em A Jaula de Aço, um dos últimos livros de Michael Löwi.

Destas leituras profanas fica o desafio para uma Rede Anticapitalista, ativista e revolucionária.


*Sociólogo. Ativista contra a precariedade, animador do espaço ContraBando e dirigente do Bloco de Esquerda. Publicou recentemente A Falácia do Empreendedorismo (com José Soeiro).

**Coordenadora editorial. Ativista do movimento feminista e militante do Bloco de Esquerda.